Telescópio detecta buracos negros e galáxias que estavam ‘escondidos’

31/08/2012 at 1:11 PM Deixe um comentário

G1 – Da BBC

Missão da Nasa está conseguindo enxergar o Universo de forma inédita, captando comprimentos de ondas ligados ao calor dos astros.

 

Um telescópio especial detectou milhões de buracos negros supermaciços e galáxias com temperaturas extremamente altas, que estavam “escondidos” atrás de uma nuvem de poeira interestelar.

O telescópio Wide-Field Infrared Survey Explorer (Wise), da agência espacial americana (Nasa), conseguiu captar comprimentos de ondas ligados ao calor dos astros, o que fez com que se conseguisse enxergar e mapear pela primeira vez alguns dos objetos mais iluminados do Universo.

Imagem feita pelo telescópio Wise, da Nasa, mostra cerca de mil objetos que até então não eram vistos no Universo e podem ajudar a entender como buracos negros se formam (Foto: Nasa/JPL-Caltech/UCLA)

A expectativa dos cientistas é de que a descoberta os ajude a entender como as galáxias e buracos negros se formam.

Imagem mostra detalhes do que foi captado pelo telescópio Wise (Foto: Nasa/JPL-Caltech/UCLA)

‘Caçador de buracos negros’
Os astrônomos já sabiam que a maioria das galáxias possui buracos negros no centro, que são “alimentados” com gases, poeira e estrelas ao seu redor. Às vezes, os buracos negros soltam energia suficiente para impedir a formação de estrelas.

A forma como astros e buracos negros evoluem juntos, no entanto, continua sendo um mistério para os cientistas. A esperança é de que os dados do telescópio Wise possibilitem novas descobertas nessa área.

O Wise tem capacidade de detectar comprimentos de onda que ficam muito além do campo de visão dos telescópios atuais. Isso permite fazer diversas descobertas inéditas na ciência. Por conta disso, o telescópio ganhou fama de “caçador de buracos negros”.

Ilustração feita por artista revela buraco negro se ‘alimentando’ de gás e poeira (Foto: Nasa/ESA)

“Nós encurralamos os buracos negros”, diz Daniel Stern, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa e um dos autores dos três estudos que foram apresentados na quarta-feira (29).

Stern e seus colegas usaram outro telescópio (NuSTAR) para analisar os dados dos buracos negros captados pelo Wise e apresentaram as informações em um artigo que será publicado na revista científica “Astrophysical Journal”.

Outros dois estudos detalham galáxias com temperaturas extremamente altas e com brilho intenso, que até recentemente não conseguiam ser detectadas. O termo em inglês para essas galáxias é “hot dust-obscured galaxies” ou hot-dogs (“cachorro-quente”, em inglês).

Mais de mil galáxias já descobertas são mais de cem vezes mais brilhantes que o Sol. Os dados da missão Wise estão disponíveis ao público, para que todos os cientistas possam contribuir nas pesquisas espaciais.

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

Pesquisa mostra que cérebro é capaz de aprender durante sono Astrônomos acham açúcar ao redor de estrela jovem pela primeira vez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Paideia

Seu encontro semanal com a cultura científica. Todas às 3ª feiras, às 18h, na Rádio UFSCar 95,3FM para São Carlos - SP ou www.radio.ufscar.br para o mundo!

@clickciencia

Podcasting

Faça o download do podcasting do Paideia

Edições anteriores


%d blogueiros gostam disto: