Cientistas brasileiros e britânicos criam parceria para estudar degradação de florestas

22/06/2012 at 2:42 PM Deixe um comentário

Estadão – Agência Brasil

Estudo comparativo permitirá saber quais foram os danos e os processos bioquímicos e biológicos associados às alterações, bem como buscar meios de remediar e recuperar as áreas degradadas

Pesquisadores brasileiros  e britânicos vão trocar conhecimento sobre estudos de degradação de florestas no Brasil e na Malásia e, a partir disso, desenvolver tecnologias de recuperação do ecossistema. O programa de pesquisa colaborativa foi lançado nesta terça-feira, 19, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A Fapesp e o Natural Environment Research Council (Nerc), um dos sete Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (RCUK, em inglês), irão financiar o programa, avaliado em R$ 10 milhões, com duração de cinco anos. Os pesquisadores interessados poderão apresentar as suas propostas até o próximo dia 16 de agosto. A chamada já está disponível no site da instituição.

De acordo com a Fapesp, os estudos serão desenvolvidos por meio do Programa sobre Processos da Biodiversidade e de Ecossistemas em Florestas Tropicais Modificadas pelo Homem (Biodiversity and Ecosystem Processes in Human-Modified Tropical Forests), que irá apoiar projetos de pesquisa de campo em Sabah, Malásia, e, no Brasil, para investigar como as mudanças em florestas tropicais afetam a biodiversidade, os serviços ambientais e o clima.

Esse trabalho inclui as experiências já em andamento nos programas Biota e sobre Mudanças Climáticas Globais, e poderá utilizar a infraestrutura criada pela Fapesp tanto na Mata Atlântica como na região amazônica, onde a instituição apoia estudos do Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA).

O pesquisador Paulo Artaxo, da Universidade de São Paulo (USP), disse que o estudo comparativo permitirá saber quais foram os danos e os processos bioquímicos e biológicos associados às alterações,  bem como buscar meios de remediar e recuperar as áreas degradadas.

“É um projeto interessante porque permite, pela primeira vez no Brasil, uma análise comparativa de duas regiões de florestas tropicais distintas. E o Brasil precisa entender melhor os processos dos seus próprios ecossistemas”, defendeu o cientista.

Pesquisas vão mostrar como mudanças afetam biodiversidade e clima. (AE)

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

Avião solar chega com sucesso ao destino final Oceanos podem sofrer mais com aquecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Paideia

Seu encontro semanal com a cultura científica. Todas às 3ª feiras, às 18h, na Rádio UFSCar 95,3FM para São Carlos - SP ou www.radio.ufscar.br para o mundo!

@programapaideia

@clickciencia

Podcasting

Faça o download do podcasting do Paideia

Edições anteriores


%d blogueiros gostam disto: