27/07/2011 at 6:57 PM Deixe um comentário

Céu nublado fez seres humanos desenvolverem cérebros maiores

Estadão

Pessoas que viveram no hemisfério norte desenvolveram cérebros maiores e olhos grandes para ajudá-los a lidar com os longos e escuros invernos e céus sombrios, explicaram cientistas nesta quarta-feira.

Pesquisadores da Universidade de Oxford estudaram os globos oculares e a área do cérebro de 55 crânios humanos de doze povos diferentes de várias partes do mundo e descobriram que quanto mais distante da linha do Equador, maior é o cérebro.

Isso não significa que eles são mais espertos, mas sim que eles precisam de áreas de visão maiores no cérebro para compensar o nível baixo de luminosidade nas grandes latitudes, revelaram os cientistas em um artigo publicado na revista Biology Letters.

“Ao se afastar do Equador, há menos luz disponível, então os humanos tiveram que desenvolver olhos maiores”, disse Eiluned Pearce da Escola de Antropologia de Oxford, principal autor do estudo. “Os cérebros deles também precisavam ser maiores para lidar com a capacidade visual extra. Ter cérebros maiores não quer dizer que as pessoas são mais espertas, apenas significa que elas precisam de cérebros maiores para serem capazes de enxergar melhor onde elas vivem.”

Os crânios utilizados no estudo datam do século 19 e incluem populações nativas da Inglaterra, Austrália, Ilhas Canárias, China, França, Índia, Quênia, Micronésia, Escandinávia, Somália, Uganda e Estados Unidos.

Os pesquisadores avaliaram as áreas dos globos oculares e das cavidades cerebrais e a latitude do ponto central dos países de cada indivíduo e descobriram que os tamanhos dos olhos e cérebros podem estar diretamente ligados à latitude do país.

Robin Dunbar, que também trabalhou na pesquisa, disse que os resultados mostram a rapidez com que os seres humanos evoluíram para se adaptarem aos desafios de seus hábitats.

“Os humanos só viveram em altas latitudes na Europa e Ásia por algumas dezenas de milhares de anos, ainda assim, parece que eles adaptaram a visão extremamente rápido em relação aos céus nublados, clima ruim e longos invernos,” ele disse.

Os pesquisadores disseram que ao mensurar a cavidade onde fica o cérebro, o estudo sugeriu que os maiores cérebros pertencem aos povos que viveram na Escandinávia e os menores pertenciam àqueles que viviam na Micronésia.

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

I Prêmio de Fotografia – Ciência & Arte abre inscrições Estação científica brasileira na Antártida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Paideia

Seu encontro semanal com a cultura científica. Todas às 3ª feiras, às 18h, na Rádio UFSCar 95,3FM para São Carlos - SP ou www.radio.ufscar.br para o mundo!

@clickciencia

Podcasting

Faça o download do podcasting do Paideia

Edições anteriores


%d blogueiros gostam disto: