Quasar mais distante

03/07/2011 at 7:23 PM Deixe um comentário

Astrônomos descobrem quasar a 12,9 bilhões de anos-luz da Terra, o mais distante já registrado

O Globo

Uma equipe de astrônomos do Observatório Europeu do Sul (ESO) descobriu o quasar mais distante do Universo, a cerca de 12,9 bilhões de anos-luz da Terra. Astros primitivos alimentados por gigantescos buracos negros em seu centro, os quasares (da sigla em inglês para “fontes de rádio quase estelares”) estão entre os objetos mais brilhantes do céu, mas a enorme distância faz com que sejam difíceis de observar.

Denominado ULAS J1120+0641, o quasar tem um desvio para o vermelho calculado em 7,1. Isso indica que ele é visto como estava apenas 770 milhões de anos depois do Big Bang, a explosão que deu origem ao nosso Universo. O desvio para o vermelho é o método usado na Astronomia para calcular a distância de objetos muito afastados da Terra. Quanto maior o valor, mais distante ele está. Assim como o som da sirene de uma ambulância parece mais grave à medida que ela se afasta, as ondas da radiação emitida pelo quasar foram “esticadas” rumo às faixas vermelha e infravermelha do espectro ao longo de sua viagem até nosso planeta.

– Este quasar é uma importante sonda do Universo primitivo. É um objeto muito raro que nos ajudará a compreender como é que os buracos negros de massa extremamente elevada cresceram algumas centenas de milhões de anos depois do Big Bang – diz Stephen Warren, líder da equipe que descobriu o objeto.

Embora astrônomos já tenham encontrado astros mais distantes – no início deste ano cientistas trabalhando com o telescópio espacial Hubble anunciaram a descoberta de uma galáxia a mais de 13,2 bilhões de anos-luz da Terra, o objeto mais longínquo conhecido -, o forte brilho do quasar faz com que ele funcione como um “farol” no céu, ajudando a revelar não só sua natureza e composição como a de objetos a sua volta. Neste caso, ele poderá fornecer pistas sobre o que estava acontecendo no meio intergaláctico durante a última fase da chamada “Era da reonização”, período em que a intensa radiação ultravioleta emitida pelas primeiras estrelas do Universo forçaram a separação dos elétrons e prótons do hidrogênio primitivo surgido cerca de 300 mil anos após o Big Bang. Antes dele, o quasar mais distante conhecido estava a cerca de 12,8 bilhões anos-luz da Terra.

– Demoramos cinco anos para encontrar este objeto – conta Bram Venemans, outro autor do trabalho, publicado na edição desta quinta-feira da revista “Nature”. – Estávamos à procura de um quasar com um desvio para o vermelho maior que 6,5. Encontrar um que está tão longe, com um desvio para o vermelho maior que 7, foi uma surpresa fantástica. Este quasar possibilita-nos um olhar profundo da era da reinozação, fornecendo-nos uma oportunidade para explorar uma janela de 100 milhões de anos na história do Cosmos que se encontrava anteriormente fora do nosso alcance.

 

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

Rap nerd Pele de rôbo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Paideia

Seu encontro semanal com a cultura científica. Todas às 3ª feiras, às 18h, na Rádio UFSCar 95,3FM para São Carlos - SP ou www.radio.ufscar.br para o mundo!

@programapaideia

@clickciencia

Podcasting

Faça o download do podcasting do Paideia

Edições anteriores


%d blogueiros gostam disto: